Aprox. 3 mins. de leitura

Pensando em aprimorar sua performance nas corridas, eu revisei alguns pontos importantes para você reduzir possíveis lesões e praticar de forma SEGURA sua atividade outdoor tão prazerosa.

Primeiramente, quero que fique claro uma coisa: não há uma forma “certa” de correr. É necessário buscar um estilo de corrida que melhor se adeque aos seus padrões naturais e te faça sentir confortável. Você não deve mudar seu estilo ao menos que seja necessário, pois fatores individuais devem ser levados em conta. A razão dos pontos a seguir é fazer você compreender que existem diferentes estilos e há uma sincronia entre seu tronco e suas pernas ao correr. Mudar o estilo de pisada, por exemplo, pode alterar totalmente essa harmonia. Corrija quando for necessário. Vamos aos 5 pontos que considero IMPRESCINDÍVEIS:

👟 Antepé (frente do pé) ou mediopé (meio do pé): ambas são técnicas de corrida que podem ser utilizadas. Geralmente, quanto maior a velocidade, maior a tendência de pisar em antepé. Independentemente da técnica utilizada, busque sempre o contato com a borda externa do pé!

👟 Na musculação, o treinamento de perna deve ser feito de maneira inteligente, para que haja aumento da força de propulsão (impulso) da perna com o solo. Dessa forma, suas pernas te levarão mais longe.

👟 Muitos nem imaginam, mas os músculos dos pés são grandes aliados na produção de força e recepção de carga. Sendo assim, você deveria treinar e cuidar mais dos seus pés. Afinal, você irá precisar bastante deles!

👟 Equilíbrio na corrida é fundamental! Os braços possuem papel importante na corrida e sua movimentação de forma errada (por exemplo, cruzar os braços à frente do seu corpo) pode contribuir no desperdício de energia gerado pela rotação do tronco. Cuidado!

👟 Correr requer uma harmonia entre movimentos horizontais (comprimento da passada) e movimentos verticais (saltos). A resultante desses movimentos é produzida pela quadril. Treinar os componentes que envolvem extensão e flexão do quadril é interessante para corredores.

SERÁ QUE O CALÇADO INFLUENCIA?

Esse é um assunto para um outro post, mais vou deixar aqui uma uma breve observação. O calçado pode ser para você o céu e o inferno, visto que ele te proporciona conforto imediato, mas também pode levar você a adquirir um “vício oculto”. Deixa eu te explicar melhor: durante a sua corrida, alguns calçados podem enfatizar erros de pisada que inicialmente passarão despercebidos nos primeiros quilômetros, mas com certeza seus músculos dos pés, pernas, quadris e coluna sentirão o desprazer e este passará a ser o seu “inferno”.

AFINAL, É POSSÍVEL MUDAR O MEU ESTILO DE CORRER?

SIM, é possível! Mas veja bem, isso envolve um sério diagnóstico. Se for identificada que sua técnica de entrada no solo com o calcanhar é muito intensa, ou sua fase aérea da passada é muito saltitante (de maneira que você produza mais força para cima do que para frente), você deve considerar mudar seu estilo. A minha sugestão é que você treine seus movimentos técnicos de controle neural, coordenações entre articulações (tornozelo, joelho e quadril) e entre segmentos (tronco e pernas). Com o passar do tempo, essas mudanças técnicas aumentarão seu desempenho e você notará suas marcas cada vez melhores.